Início / Notícias / Governo de Minas reduz verbas para Segurança Pública
f_213971

Governo de Minas reduz verbas para Segurança Pública

Para o deputado Tito Torres, com os cortes no setor, a criminalidade aumentou no Estado.

Segundo dados do Sistema Integrado de Administração Financeira de Minas Gerais (Siafi-MG), Os investimentos nas polícias Civil e Militar em Minas Gerais caíram 84% nos primeiros sete meses de 2015 com relação ao mesmo período do ano passado. Enquanto foram destinados R$ 84,8 milhões para as corporações entre janeiro e julho de 2014, no mesmo período de 2015 o montante foi de R$ 13,7 milhões. A queda mais acentuada foi no investimento da Polícia Civil (PC), que recuou 89%. Os gastos com a Polícia Militar (PM) reduziram 80%.

O deputado Tito Torres, diante dos dados coletados, avaliou a situação. “O resultado dos cortes na área de segurança é o aumento da criminalidade em Minas. O governo atual, além de não implantar políticas públicas próprias na área de segurança, reduz os investimentos que já vinham sendo implantados com êxito nos governos anteriores, como o programa Olho Vivo”, afirma o parlamentar. O projeto “Olho Vivo” registra imagens em tempo integral das áreas com alta incidência de crimes contra o patrimônio, como roubos.

Segundo o portal do PSDB MG, no primeiro semestre deste ano, os crimes violentos em Minas tiveram um crescimento de 12,83%, na comparação com janeiro a junho do ano passado. Somente a taxa de roubos cresceu 17,15% em todas as regiões do Estado.

Além dos valores referentes a investimento, o custeio também sofreu cortes. O montante gasto com a PM para policiamento ostensivo, cujo objetivo é desestimular a ocorrência de crimes e aumentar a sensação de segurança, recuou em mais de R$ 15 milhões. Entre janeiro e julho de 2014 foram destinados R$ 72,9 milhões para esse fim, e o valor passou para R$ 57,4 milhões no mesmo período deste ano.

A Polícia Civil também sofreu cortes em itens importantes. Os valores empregados em investigações e polícia judiciária – aplicados para garantir diligências dos policiais, perícias e andamento do inquérito – caíram 75%, passando de R$ 23,1 milhões nos primeiros sete meses de 2014 para R$ 5,8 milhões no mesmo período deste ano.

Dados da matéria: SIAF e PSDB MG 

Além disso, verifique

ferrovia

Deputado Tito Torres defende retomada das ferrovias mineiras

O deputado Tito Torres, junto com a Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras, está empenhado na realização ...

Deixe uma resposta